logo

Notícias

voltar

Comitê Nacional define agenda de ações para reafirmar caráter 100 público da Caixa

postado em: 17/11/2017

O Comitê Nacional em Defesa da Caixa, reunido nesta sexta-feira (17), em Brasília (DF), definiu uma agenda nacional de ações para reafirmar o caráter 100% público do banco, com prioridade para a criação de comitês estaduais em todo o país. A reunião ocorreu na sede da Fenae e teve o objetivo de debater e elaborar um calendário de novas mobilizações, no sentido de unificar e fortalecer a campanha “Defenda a Caixa você também”, lançada em 3 de outubro pela Fenae e por outras entidades representativas.

Ficou definido que esse movimento será desenvolvido em três etapas distintas e complementares, com ênfase para ações organizativas, de comunicação e de mobilização. Um consenso: essa luta não deve ficar restrita apenas à Caixa, mas precisa envolver aliados em todas as empresas públicas e no conjunto da sociedade brasileira.

“Como em outros momentos decisivos, somos chamados a atuar coletivamente para defender o patrimônio que é de todo o povo brasileiro. Ninguém mais do que os empregados da Caixa e os trabalhadores de maneira geral para saberem a importância do banco para as ações sociais de todo o país”, afirmou Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae.

Ele lembrou de que já existe um consenso de que será preciso intensificar o trabalho junto aos parlamentares no Congresso Nacional para esclarecer sobre os riscos da transformação da Caixa em Sociedade Anônima, primeiro passo para a abertura de capital do banco. “Temos que alertar os deputados e senadores, lembrar que, se hoje é difícil encontrar um cidadão brasileiro que não tenha relação qualquer com o banco, isso ocorre porque a Caixa é 100% pública”, salientou.

Para o diretor de Relações Institucionais da Fenag, Marconi Apolo, o momento é de unidade. “Precisamos estar unidos e fortalecidos para ter êxito em nossas demandas e, hoje, nosso objetivo maior é a defesa da Caixa 100% pública”, ressaltou. E acrescentou: “É imprescindível o apoio da população. Precisamos mostrar para sociedade como é o país com ou sem a Caixa”.

Defesa da Caixa

Na questão organizativa, o foco será a criação de comitês estaduais, a ser composto com representantes das entidades que integram o Comitê Nacional em Defesa da Caixa, a exemplo de Fenae, Fenag (Federação Nacional das Associações dos Gestores da Caixa), Fenacef (Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da Caixa), Advocef (Associação Nacional dos Advogados da Caixa), Aneac (Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa), AudiCaixa (Associação Nacional dos Auditores Internos da Caixa), Social Caixa (Associação Nacional dos Técnicos Sociais e Assistentes de Projetos Sociais da Caixa), Contraf/CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Contec (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Crédito) e FNRU (Fórum Nacional de Reforma Urbana).

O compromisso é de que, até a próxima quarta-feira (22), cada entidade envie a lista de seu representante para fazer parte desses fóruns estaduais, cujo formato será igual ao do nacional. Esses comitês serão constituídos com a finalidade de discutir estratégias em defesa da Caixa 100% pública, sendo fundamental para isso fomentar a articulação de câmaras de vereadores e assembleias legislativas com entidades sindicais e associativas e com os movimentos sociais. Outra meta é divulgar orientações para que sejam formadas frentes amplas de apoio a essa luta. Saiba mais sobre a campanha “Defenda a Caixa você também” acessando ao Link

17/11/2017  -  Comitê Nacional define agenda de ações para reafirmar caráter 100 público da Caixa

O Comitê Nacional em Defesa da Caixa, reunido nesta sexta-feira (17), em Brasília (DF), definiu uma agenda nacional de ações para reafirmar o caráter 100% público do banco, com prioridade para a criação de comitês estaduais em todo o país. A reunião ocorreu na sede da Fenae e teve o objetivo de debater e elaborar um calendário de novas mobilizações, no sentido de unificar e fortalecer a campanha “Defenda a Caixa você também”, lançada em 3 de outubro pela Fenae e por outras entidades representativas.

Ficou definido que esse movimento será desenvolvido em três etapas distintas e complementares, com ênfase para ações organizativas, de comunicação e de mobilização. Um consenso: essa luta não deve ficar restrita apenas à Caixa, mas precisa envolver aliados em todas as empresas públicas e no conjunto da sociedade brasileira.

“Como em outros momentos decisivos, somos chamados a atuar coletivamente para defender o patrimônio que é de todo o povo brasileiro. Ninguém mais do que os empregados da Caixa e os trabalhadores de maneira geral para saberem a importância do banco para as ações sociais de todo o país”, afirmou Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae.

Ele lembrou de que já existe um consenso de que será preciso intensificar o trabalho junto aos parlamentares no Congresso Nacional para esclarecer sobre os riscos da transformação da Caixa em Sociedade Anônima, primeiro passo para a abertura de capital do banco. “Temos que alertar os deputados e senadores, lembrar que, se hoje é difícil encontrar um cidadão brasileiro que não tenha relação qualquer com o banco, isso ocorre porque a Caixa é 100% pública”, salientou.

Para o diretor de Relações Institucionais da Fenag, Marconi Apolo, o momento é de unidade. “Precisamos estar unidos e fortalecidos para ter êxito em nossas demandas e, hoje, nosso objetivo maior é a defesa da Caixa 100% pública”, ressaltou. E acrescentou: “É imprescindível o apoio da população. Precisamos mostrar para sociedade como é o país com ou sem a Caixa”.

Defesa da Caixa

Na questão organizativa, o foco será a criação de comitês estaduais, a ser composto com representantes das entidades que integram o Comitê Nacional em Defesa da Caixa, a exemplo de Fenae, Fenag (Federação Nacional das Associações dos Gestores da Caixa), Fenacef (Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da Caixa), Advocef (Associação Nacional dos Advogados da Caixa), Aneac (Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa), AudiCaixa (Associação Nacional dos Auditores Internos da Caixa), Social Caixa (Associação Nacional dos Técnicos Sociais e Assistentes de Projetos Sociais da Caixa), Contraf/CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), Contec (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Crédito) e FNRU (Fórum Nacional de Reforma Urbana).

O compromisso é de que, até a próxima quarta-feira (22), cada entidade envie a lista de seu representante para fazer parte desses fóruns estaduais, cujo formato será igual ao do nacional. Esses comitês serão constituídos com a finalidade de discutir estratégias em defesa da Caixa 100% pública, sendo fundamental para isso fomentar a articulação de câmaras de vereadores e assembleias legislativas com entidades sindicais e associativas e com os movimentos sociais. Outra meta é divulgar orientações para que sejam formadas frentes amplas de apoio a essa luta. Saiba mais sobre a campanha “Defenda a Caixa você também” acessando ao Link

SBS, Quadra 2, Bloco Q, Lote 3, Ed. João Carlos Saad, 14 º, Sala 1410 - Brasília/DF - CEP: 70.070-120 - Fone: (61) 3226-7449

Copyright © 2008-2015 - Aneac - Todos direitos reservados